FAKE NEWS: PODE ACONTECER COM VOCÊ!

Essa semana circulou na internet uma matéria que foi muito lida em todo o Brasil. Ela falava do comportamento de um pretenso “Padre Ricardo” que, ao fazer um casamento na cidade de Maranguape/CE, teria constrangido os noivos com declarações estapafúrdias dizendo que um católico não poderia casar com um evangélico. A matéria registra a contrariedade dos noivos diante do comportamento absurdo do sacerdote e, em seguida, é possível ver uma saraivada de críticas com expressões chulas e palavras de baixo calão sendo dirigidas àquele pretenso “Padre Ricardo”.

Ocorre que a matéria vem acompanhada de duas fotos. Na primeira os noivos estão literalmente surpresos e a noiva esboça quase um rosto de choro. O que o leitor desatento não sabe é que essa foto é o registro da reação dos noivos em um casamento em Santa Catarina, ao verem o cantor Thiaguinho entrar cantando na cerimônia de casamento. Isso pode ser verificado no seguinte endereço: <https://musica.uol.com.br/noticias/redacao/2017/09/28/voce-iria-gostar-thiaguinho-surpreende-noivos-e-canta-em-casamento.htm>.

A segunda foto que a matéria trás é de uma cerimônia realizada, não em Maranguape, no Ceará, mas em Natal, no Rio Grande do Norte. Nela, quem está celebrando não é o padre Católico-Romano Ricardo, mas o Reverendo Anglicano Jorge Aquino. Aliás, essa cerimônia foi realizada em setembro de 2015, como pode ser verificado no seguinte endereço <https://revjorgeaquino.wordpress.com/2015/09/12/padre-jorge-aquino-no-casamento-de-maria-clara-e-gustavo-bastos/>.

Nascido em Natal/RN, o Rev. Jorge Aquino é graduado, especialista e mestre em Teologia; graduado e mestre em Filosofia e especialista em Direito Civil. Foi Ministro da Igreja Episcopal Anglicana do Brasil (IEAB) por 12 anos, assumindo os cargos de pároco na Capela do Campus da UFRN, de ministro encarregado de uma missão em João Pessoa, Reitor do Seminário Anglicano de Recife, Arcediago da sub-região norte da Diocese do Recife, e representante da IEAB no Conselho Nacional de Igrejas Cristãs-RN, no Conselho Ecumênico Nacional de Combate ao Racismo (CENACORA), além de participar como membro pleno da Junta de Educação Teológica (JUNET) e do Centro de Estudos Anglicanos (CEA). Em Natal, atuou como vice-presidente do Centro de Direitos Humanos e Memória Popular por sete anos, chegando a ganhar o prêmio estadual de Direitos Humanos. Como professor universitário, ensinou matérias relacionadas à Ética e Deontologia Jurídica, História do Direito, Sociologia Jurídica, Filosofia do Direito e Hermenêutica Jurídica na graduação e na pós-graduação de diversos cursos de Direito em Natal. Casado com Mônica, é autor de 6 livros e diversos artigos em livros e revistas jurídicas e teológicas, além de verbetes em dicionários. Foi também coordenador do Núcleo de Pesquisa em Direito e Coordenador editorial da Revista Jurídica Ágora, da Faculdade de Natal.

Seu ministério se volta hoje para a formação acadêmica de novos clérigos e também para o aconselhamento de casais e a realização de Bodas, Bênçãos religiosas e Casamentos religiosos com efeito civil em português, inglês, espanhol e italiano. Em razão de sua atividade acadêmica, o Rev. Jorge Aquino foi nomeado Cônego teológico pela Diocese do Japi e Diretor de Formação na Free Church of England. Atualmente o Rev. Jorge Aquino é o responsável pela Missão da Epifania, um grupo em células que busca a comunhão e a maturidade cristã, ligada à Igreja Anglicana Reformada, uma missão da Free Church of England.

Como pode ser claramente visto, depois de quase 30 anos de ministério e de serviço à comunidade civil e acadêmica, alguém assim ainda pode ser alvo de ataques maldosos advindo da internet. Por isso, tomem cuidado com tudo o que você lê. Procure saber se aquilo realmente aconteceu. Existem pessoas que, para que seus sites sejam bem visitados e suas matérias compartilhadas, não têm escrúpulos em expor a imagem de alguém e jogá-la na lama.

O Reverendo Jorge Aquino agradece a oportunidade que esse blog lhe dá para que a verdade venha à tona; afinal, devemos sempre buscar a verdade, porque ela nos libertará.