Padre revolta e constrange noivos em casamento. Lamentável!

“Não tem como dar certo um casamento entre um católico e um evangélico”, disparou o padre católico Marco Maciel quando celebrava o casamento de Vinícius, que já foi evangélico e hoje se considera cristão, e Maria Adelaide, católica, que se realizou no último sábado na Paróquia Nossa Senhora do Rosário, em Maranguape, na Região Metropolitana de Fortaleza.

Os noivos, familiares e amigos que estavam na igreja para celebrar o casamento ficaram revoltados com a atitude do pároco, pois estavam à espera de palavras de felicidade.

O engenheiro Vinícius afirma que já foi católico e evangélico. “Já fui católico e evangélico, mas hoje eu me considero  cristão, apesar de não frequentar nenhuma igreja. A minha esposa é católica e parte da família dela também. Já a maioria da minha família é evangélica, mas também tem parte católica”, explica Vinícius.

“Católico tem que casar com católico”

Indignado, Vinícius relembra as palavras do pároco. “Fiquei surpreendido pois ele perguntou qual era a religião da minha esposa e qual era a minha religião. A minha esposa respondeu que era católica e eu respondi para ele duas vezes dizendo que me considerava cristão. Isso eu falei e acredito que só ele e a minha esposa escutaram porque estavam muito próximos. Eu não falei no microfone da igreja. Aí ele falou no microfone: ‘Ah, ele é evangélico. Ela é católica e ele é evangélico’”.

Segundo Vinícius, a partir desse momento o padre começou a falar coisas no sentido de desaprovar aquele casamento: “A minha convicção é de que pessoas de religiões diferentes não se devem misturar. Quem é da macumba tem que casar com quem é da macumba. Evangélico tem que casar com evangélico. Católico tem que casar com católico”.

“Também falou que não sabia como iríamos criar nossos filhos, que não fazia sentido, que não acreditava nisso, porque isso não podia”, contou Vinícius.

A noiva Maria Adelaide disse que notou que o padre tremia todo no momento da celebração. “Eu já comecei a estranhar desde o início porque ele estava ficando muito em silêncio na hora das leituras e ele estava aparentando uma raiva”, disse.

Constrangimento total

O noivo fala que convidados e familiares ficaram constrangidos com as palavras do padre. “Ele disse um monte de coisas que me chocaram e eu não consegui reagir, porque aquilo não fazia sentido nenhum. Qual o sentido dele perguntar qual a religião no meu casamento? Tinham vários convidados da minha família na cerimônia, que são evangélicos, que ficaram chocados. Da família da minha esposa, que a maioria é católica, a mesma coisa. Todos os convidados, católicos ou evangélicos, ficaram chocados com as palavras do padre”, diz o engenheiro.

A intolerância do religioso ficou demonstrada também quando, antes do início da cerimônia, ele pediu a cerimonialista para retirar todos os cânticos evangélicos da lista de músicas que tocaria no casamento. Vinícius estranhou a atitude do padre.

“Antes de iniciar o casamento, ele ordenou ao cerimonialista que qualquer cântico que não fosse católico estava proibido de rituar. E que, se ele cantasse, iria parar a cerimônia. Sendo que foi o cantor que escolheu, a gente não pediu nada para ele. Eu estranhei, mas até aquela hora eu tinha relevado isso”, comenta.

“Pastores, parem de perseguir os católicos”

Vinícius  diz ainda que o padre citou pastores, afirmando que os católicos não estavam atacando os evangélicos e que os pastores da igreja evangélica tinham que deixar os católicos em paz. Assim, ele promoveu uma guerra santa no meu casamento”.

Maria Adelaide descreve o que sentiu no momento do casamento.“Eu fiquei revoltada, não só eu como os padrinhos do meu casamento, minha família, meus pais, todos os convidados. Todos ficaram horrorizados, eu não consegui ter uma reação na hora. Fiquei com vergonha do que estava acontecendo”. O noivo disse que se sentiu culpado: “Eu me senti culpado por não dizer que era católico e passar pela aquela vergonha. Ele me constrangeu completamente”, comenta.

Para não ouvir reclamações, padre se tranca no banheiro da sacristia 

Vinícius conta que os convidados começaram a se manifestar, pedindo pro padre terminar logo com aquilo tudo. Teve inclusive gente que foi reclamar com ele depois de toda aquela cena. Para não ouvir as pessoas, o religioso se trancou no banheiro da sacristia.

“Os padrinhos ficaram totalmente alterados, nossos amigos, que são católicos, pediram para ele parar de dizer aquelas coisas e que ele acabasse por ali. Mas ele continuou o sermão, afirmando que era horrível aquilo e que católico era pra casar com católico”, completa a noiva.

O noivo está pensando em expor o caso à justiça e que está conversando com um advogado. Existe, sim, a possibilidade de acionar a justiça”, disse.

Pároco da cidade sabia que noivo era evangélico e não viu problema no casamento

Os noivos explicaram que,  quando decidiram casar, conversaram com o pároco de Maranguape, Padre Amarildo, que disse que não havia problemas. Disse que era importante que nossos filhos fossem educados na fé. E que a igreja estaria de portas abertas para Vinícius no dia em que ele quisesse frequentar”, ressalta Maria Adelaide.

Como o pároco não pôde realizar a cerimônia porque tinha outra em Fortaleza para celebrar no mesmo dia, ele chamou o padre Marco Maciel para substituí-lo e abençoar a união entre Vinícius e Maria Adelaide.

Procurado pela Redação Web da Rádio Verdes Mares, o pároco Amarildo Santana disse que essa não é a opinião da Igreja Católica e falou ainda que é normal existir celebração de um casamento misto.

“Eu estive com os noivos ontem e pedi desculpas, porque não é a primeira vez que o padre Marco Maciel celebra um casamento a meu convite e faz uma coisa dessas. Mas não é verdade que católicos e evangélicos são incompatíveis. Tudo vai depender da capacidade do casal de aceitarem um ao outro”.