Revelação sobre João de Deus chega a público e quem não acreditava se arrepende

A prisão preventiva de João de Deus foi pedida pela Justiça de Goiás nesta sexta-feira, 14, segundo disse o secretário de Segurança Pública de Goiás, Irapuan Costa Júnior em declarações à TV Anhanguera.

O médium foi acusado de abuso por mais de 200 mulheres que teriam sido molestadas por ele durante tratamentos espirituais, em Abadiânia, cidade goiana do Entorno do Distrito Federal. Uma das filhas de João de Deus também afirmou ter sido molestada pelo pai . 

Na quarta-feira, na Casa Dom Inácio de Loyola, onde realiza os trabalhos espirituais, João de Deus se declarou inocente, afirmando que confiava na Justiça de Deus e dos homens. 

“Meus queridos irmãos e minhas queridas irmãs, agradeço a Deus por estar aqui. Ainda sou irmão de Deus, mas quero cumprir a lei brasileira porque estou na mão da lei brasileira. João de Deus ainda está vivo. A paz de Deus esteja convosco”, afirmou o médium. 

Denúncias 

Nos últimos dias, relatos de dezenas de mulheres que alegam terem sido molestadas pelo médium tem sido publicados nos jornais e televisões da Rede Globo. A partir do programa Conversa com Bial, onde 10 mulheres denunciaram João de Deus, o MP-GO e Polícia Civil passaram a investigar o caso, de forma independente. 

O líder espiritual já está sendo procurado pela Polícia Militar tanto em Abadiânia quanto em Anápolis, para o cumprimento do mandado de prisão. 

O advogado do médium, Alberto Toron, já havia ido apresentar a versão do líder espiritual ao juiz Fernando Chacha no Fórum de Alexânia, cidade vizinha a Abadiânia, no interior de Goiás, numa tentativa fracassada de evitar a prisão. 

O defensor foi pedir ao juiz que o seu cliente gostaria de continuar atendendo atendendo os pacientes do seu centro, chegando a propor que João de Deus fosse vigiado e filmado pela polícia em suas consultas. 

“Se ele quiser colocar policiais na casa, poderá fazê-lo, para se ter certeza de que nada de ilícito ali é praticado”, explicou o advogado. 

Toron disse ao Globo que João de Deus está inconformado e triste com as acusações e que está sofrendop muito com tudo isso”. 

Filha denuncia o pai também

Em entrevista à revista “Veja”, Dalva Teixeira, de 49 anos, filha do médium, disse que tinha 10 anos quando foi molestada pelo pai pela primeira vez. Na edição da revista desta semana, a filha conta detalhes escabrosos acerca dos abusos. Os abusos aconteceram até seus 14 anos, quando engravidou de um funcionário de João e foi espancada pelo pai, a quem chama de “monstro”, por conta disso.